“If it doesn’t fit, you must acquit”

Uma das mais recentes séries da antologia American Crime Story, The People v. O.J. Simpson conta com maestria o que ficou conhecido como o julgamento do século, que ocorreu em meados da década de 90.

Um famoso jogador da NFL, Orenthal James Simpson, mais conhecido como The Juice (O.J = Orange Juice), após a sua carreira como jogador, fez algumas pontas em filmes, como “Corra que a polícia vem aí”, além de algumas presenças esporádicas como comentarista esportivo. Entretanto, sua vida milionária foi interrompida após ser acusado de matar a sua ex-esposa, Nicole Brown e um amigo dela, Ron Goldman, em sua residência. Um verdadeiro escândalo e frenesi na terra do Tio Sam.

Quem não se lembra do detetive Nordberg (O.J. Simpson, ponta esquerda) na comédia “Corra que a polícia vem aí”, estrelando Leslie Nielsen.

A série de 10 episódios foca exatamente nos eventos que ocorreram no dia do assassinato até o veredito do júri no julgamento – Caso você não saiba se O.J. Simpson foi inocentado ou não, recomendo assistir a série as cegas e depois assistir a alguns vídeos do youtube do julgamento original e comparar com cenas da série.

The People v. O.J. Simpson relata de forma cirúrgica o dia a dia do julgamento que atraiu milhões de espectadores no mundo todo. Canais de TV interrompiam suas programações para mostrar as sessões, tabloides publicavam detalhes íntimos dos advogados e fofocas eram espalhadas diariamente, além de ser um dos primeiros julgamentos a usar amostras de DNA como prova de crimes. Tudo isso muito bem capturado pelos diretores. Para conseguir mostrar todo esse impacto, a série contou com atores de peso.

O.J. é interpretado por Cuba Gooding Jr., seus advogados milionários foram Robert Shapiro (John Travolta), um advogado extremamente calculista, Robert Kardashian (David Schwimmer de Friends) o famoso pai das primeiras filhas de Kris Jenner e amigo de longa data de O.J e Johnnie Cochran (Courtney B. Vance, Law & Order), o advogado convocado pelo seu brilhantismo como advogado de defesa e de causas raciais. Já do lado da promotoria, temos Marcia Clark, interpretada de forma idêntica a original por Sarah Paulson (American Horror Story).

Atores vs figuras reais – um cast de peso: dos mais brilhantes aos mais duvidosos

Quanto a interpretação de O.J, acredito que poderiam ter escalado outro ator, já que a sua semelhança com o original e os trejeitos são quase zero, além da atuação fraquíssima. Travolta se destaca interpretando Shapiro de forma genial assim como B. Vance que captou a essência e teatralidade de Cochran. Schwimmer conseguiu capturar a timidez de Kardashian, que estava no julgamento incrédulo e com dúvidas da inocência de O.J.

Em termos gerais, The People v. O.J. Simpson é uma série que deve ser assistida pela sua importância ao retratar um caso histórico e pela acurácia da trama. Sofre em alguns aspectos na interpretação de alguns personagens, mas  que não apagam o brilhantismo da narrativa e a vontade de assistir um episódio após o outro.

Estoure a pipoca e divirta-se!