New Best Friends segue preparando a guerra!

No últimos domingo (19) foi ao ar o décimo episódio de The Walking Dead, intitulado “New Best Friends” ou “Novos Melhores Amigos”, na qual temos alguns reencontros e o clima pré guerra continua crescendo. Se você não está atualizado com a série, relembre o capítulo anteriorCUIDADO, SPOILERS ABAIXO!

Vamos começar essa discussão com uma pergunta: até quando Ezekiel vai viver no mundo dos contos de fada? Toda fantasia criada pelo Rei só serve pra entreter e manter seu povo longe da realidade além dos mundos do Reino. Os Salvadores são uma ameaça real e podem ser comparados a um vulcão prestes a entrar em erupção. Acorda Rei! Está na hora de lutar pela vida, pela liberdade, pelo povo e por um futuro. Chega de utopia, o mundo atual é cruel e o homem se tornou a principal ameaça.

“New Best Friends”, serviu pra explorar o início das alianças. Hilltop já aderiu à causa, mas Rick precisa de mais adeptos. O misterioso grupo que os cerco ao final do episódio anterior, é liderado por Jadis, uma mulher um tanto quanto estranha e misteriosa. O líder de Alexandria foi testado, sendo obrigado a enfrentar um dos mais bizarros e ameaçadores Zumbis até agora apresentados na série. O resultado dessa batalha foi positivo, pois o novo grupo aceitou juntar-se à luta em troca de um acordo pós guerra. Vamos ver quanto tempo durará essa união.

Confesso a vocês que estou satisfeito com o espaço que Daryl vem ganhando na série. O personagem nunca foi de muitas palavras e sempre se expressou muito bem através do olhar. Porém, tempos difíceis requerem muito diálogo e conversas para tentar chegar a um acordo e não é que ele tem gastado uma boa saliva?

Falem o que quiserem, mas mesmo tendo todo esse junto bruto e marrento Daryl é um dos personagens mais sensíveis da série. Você não se emocionou com o reencontro entre Carol e ele? Deu pra sentir o amor entre os dois naquele abraço.

Carol é a verdadeira sobrevivente. É interessante observar a curva de amadurecimento e sentimentos da personagem desde o início da série. Ela passou de mulher submissa a guerreira badass e agora está num nível de desgaste e saturação emocional que chega a dar dó e torná-la irreconhecível. Antes de criticarem a postura, se coloquem no lugar dela. Pensem em tudo o que ela passou, viveu e sofreu. Não foi fácil. Mesmo ela não estando da forma como gostamos de ver, é totalmente compreensível. Aqueles que estão decepcionados com ela aguardem, tenho certeza que ela terá papel fundamental na guerra.

Falando um pouco sobre Morgan, também é compreensível o fato dele não querer lutar e ter mais sangue em suas mãos, mas, a situação está chegando num nível tão insustentável, que as três peças que faltam (ele, Ezekiel e Carol), terão que acordar pra realidade e lutar pela sobrevivência, ou não haverá um amanhã.

The Walking Dead retornou com uma promessa de mudança e até agora a única coisa que de fato mudou, foi a ausência de Negan (Jeffrey Dean Morgan) com seu humor ácido e frases cheias de sarcasmo. A construção e desenvolvimento lento do roteiro são características marcantes da série, vamos continuar acompanhando o movimento pré guerra pra ver quando a temporada atinge seu clímax. Só espero que isso não aconteça no season finale.

Você gostou do episódio? Quais são as suas expectativas para a guerra? Conta pra gente nos comentários.

Até a próxima!