Fala galera! Hoje é dia de falarmos da série Legião e ontem saiu o segundo episódio no FX. Vem comigo conferir o que de melhor aconteceu com David Haller. Cuidado com os SPOILERS!!

O treinamento

No primeiro episódio, vimos David sendo resgatado por um grupo de mutantes formado pela Sra. Bird, Syd, Ptonomy e Kerry.

Legião parece estar cada vez mais desenvolvendo seus poderes, só que o controle sobre eles parece diminuir conforme aumentam as visões e pensamentos bizarros.

Ele é levado para Summerland, uma espécie de escola de mutantes escondida da perseguição da Divisão Três. Lá, mais do que convenientemente, descobrimos que Ptonomy tem o poder de manipular memórias e, junto com Melanie Bird, o usa para que David revisite sua vida, aos poucos aprendendo que sua esquizofrenia nada mais é do que uma forma de seus vastos poderes se manifestarem.

Sky também quer ajuda-lo a controlar seus poderes, além do desafio de controlar os dela, já que ao tocar a pessoa, ela troca de corpo com quem teve contato. Ela também se mostra arrependida por ter matado Lenny, a amiga de Haller.

Também é mostrado que a agora finada Lenny não era sua amiga de hospital psiquiátrico apenas, mas sim de algum tempo antes, com os dois vendendo o que podiam para conseguir drogas, mais especificamente uma que David menciona como “o vapor”.

O tratamento

David Haller começa o tratamento com a Sra. Bird e Ptonomy invadindo suas memórias e recordações e fazendo com que ele as revivesse, buscando melhorar a percepção dos poderes mutantes.

Então somos apresentados ao pai do Legião, que é astrônomo e claramente não se trata de Charles Xavier, o professor X. Acredito que, se a história dele não for alterada, então David deve ter sido adotado.

Descobrimos que David e sua irmã Amy moravam no campo. E não temos ideia do que aconteceu com seu pai ou mesmo com sua mãe.

Além disso, revisitamos a sequência da “explosão” na cozinha do primeiro capítulo, que acontece logo depois de David brigar com sua namorada cujo destino, aliás, também não conhecemos.

As histórias do primeiro e segundo episódio continuam confusas e cheias de loucuras, então entendo que é um meio que será usado pelos diretores e roteiristas para contar a série. Mas será que é uma boa idéia?

E vocês, o que acharam do segundo episódio? A série ainda tem potencial para continuar dessa forma? Não deixem de comentar!

Até a próxima!