Quatro Vidas de um Cachorro

Hoje (26) chega aos cinemas um filme simples, cercado de polêmica e com uma história fofa para contar, Quatro Vidas de um Cachorro. Vamos conversar, fiquem tranquilos que esse texto NÃO CONTÉM SPOILERS!

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

Antes de começarmos a falar sobre o filme, quero deixar claro que não sou a favor de nenhum tipo de maus-tratos a animais, mas, enquanto comunicador meu papel é trazer a vocês o olhar do filme em si. Deixo de lado a repercussão negativa que o longa vem levando e a cargo daqueles que competem investigar e punir quem quer que tenha infringido alguma lei ou maltratado algum animal.

Falando de Quatro Vidas de Um Cachorro enquanto filme, o roteiro foi inspirado na obra homônima de W. Bruce Cameron e traz um olhar diferente e uma pergunta para a vida de um dos pets mais amados do mundo, qual o propósito de um cachorro?

Lamber, latir, correr, comer, dormir, parece simples a vida de um cachorro, mas esses bichinhos tem suma importância em muitos lares e vidas. O que mais me faz gostar desse animal é o fato dele ser um companheiro fiel e amável para toda a vida. Ao mesmo tempo em que podemos traduzi-los como o amor em quatro patas, é muito duro e sofrido o fato deles durarem muito pouco em nossas vidas.

Só quem já perdeu um cachorro conhece essa dor e esse trauma (para algumas pessoas), e a forma como o roteiro suavizou e deu esperanças para esse ponto foi super positiva para a trama e serviu de acalento aos nosso corações. Não vamos discutir crenças religiosas e nem tomar nenhum partido nesse sentido, mas, só de pensar que algum dia poderemos reencontrar o nosso Bailey Bailey Bailey já é o suficiente para abrir um sorriso esperançoso no rosto.

Falando um pouco do elenco, Quatro Vidas de um Cachorro tem os pets como protagonistas da história, fazendo os atores e atrizes estarem lá só para apoiar e ajudar a desenvolver a trama. Confesso ter me afeiçoado pelo casal adolescente Ethan (KJ Apa) e Hannah (Britt Robertson), que vivem um amor puro, jovem e cheio de planos e sonhos. Já na fase adulta, o ator Dennis Quaid entrega um Ethan solitário e que tem a sua vida completamente transformada pelo bichinho.

Quatro Vidas de um Cachorro tinha tudo para ser o tipico filme que você sai chorando dos cinemas e chega em casa morrendo de vontade de abraçar o seu companheiro de quatro patas, mas, não é isso o que acontece.

O filme é fofo? É! Vale a pena assistir? Se você gosta de cinema vale sim, mas não crie grandes expectativas e nem espere muita coisa. Ué Fábio, mas se o filme é fofo e vale a pena assistir, qual o problema então? Vamos lá.

O fato de passar por quatro histórias diferentes num intervalo de uma hora e pouco, faz com que não criemos laços com nenhum dos personagem. Mesmo Ethan e Hannah sendo fofos juntos, você passa mais tempo vendo as peripécias dos cachorros do que se apegando a eles. Mesmo o protagonista (Josh Gad faz a voz do narrador) sendo engraçado, não é o suficiente para o filme engrenar.