Assassin's Creed

Amanhã chega aos cinemas a adaptação da famosa franquia da Ubisoft, Assassin’s Creed. Fique tranquilo, NÃO CONTÉM SPOILERS!

Assassin's

Mas afinal, o filme é bom?

Estrelado por Michael Fassbender (X-Men: Apocalipse), Marion Cotillard (A Origem) e Jeremy Irons (Batman v Superman: A Origem da Justiça), o longa tem a difícil missão de trazer para as telas uma história cativante sem perder a essência dos games.

Rapidamente contextualizando o enredo para quem não está familiarizado com a franquia, Assassin’s Creed conta a história de Callum Lynch, um homem é capturado pelos Templários nos dias de hoje que é colocado na máquina Animus, uma tecnologia que o faz reviver as memórias de seu ancestral, Aguilar, para procurar a tão cobiçada Maçã do Éden.

Uma vez situados na trama, é muito interessante a transição entre passado e presente. O diretor Justin Kurzel (Macbeth) usou sua experiência medieval e técnica de filmagem para contrapor de forma empolgante as passagens entre Callum e Aguilar, nos dando vontade de ver o protagonista utilizando mais vezes a tecnologia.

As cenas de ação, coreografias de le parkour e todas as imagens da Inquisição Espanhola foram muito bem feitas. Assim como na história dos games, os melhores momentos do filme acontecem quando vemos Michael Fassbender caracterizado como um assassino e utilizando as clássicas lâminas da franquia. O salto da fé, a águia, o figurino, tudo é uma grande referência e homenagem aos jogos. Ponto positivo!

Porém, não só de referências e belas cenas é que se faz um bom filme. O pecado de Assassin’s Creed está no roteiro que é raso, previsível e não empolga. Ao final da sessão você sai com aquela sensação de: “ah legal”, ao invés de “caraca, que puta filme foda”. Falta tempero, história, boas atuações e mais cenas do passado.

O interessante da franquia é ver as descobertas através das memórias fragmentadas, acompanhar a evolução do personagem, reconhecer as figuras históricas famosas que ele encontra. Ninguém se importa com o presente. O passado é o que alavancou os jogos e é lá que o roteiro deveria ter se concentrado e desenvolvido a história.

Mesmo com os nomes de peso e inegáveis talentos no elenco, Assassin’s Creed é um filme bacana, que vale a pipoca, mas que infelizmente cairá no seu esquecimento assim que a sessão terminar. Com a enxurrada de grandes títulos vindo por ai, esse é só o primeiro blockbuster que dá star a uma leva de grandes filmes.

Vale a pena assistir? Mesmo com os pontos negativos apontados acima, vale sim. Um amigo me disse uma vez que cinema tem dois propósitos: entreter ou expandir o seu nível cultural. Assassin’s Creed cumpre o primeiro propósito e por isso ele vale o ingresso. O 3D é necessário? Não, mas hoje em dia é praticamente impossível encontrar algum título sem essa tecnologia, portanto, já que vai usar o óculos, escolha uma sala IMAX, isso sim vale o seu dinheiro.

Volte para nos contar o que você achou do filme, ok?