Animais Fantásticos e Onde Habitam

No dia 17 de novembro de 2016 será mais um grande marco na vida de todos os potterheads: chegará aos cinemas Animais Fantásticos e Onde Habitam, primeiro dos 5 filmes que contarão novas histórias do universo mágico mais famoso do mundo, antes de Harry Potter.

A Warner nos fez um convite especial para assistirmos ao longa em primeira mão no dia de hoje. Então é claro que viemos correndo aqui dividir com vocês o que achamos! (SEM SPOILERS)

Animais Fantásticos

Mas afinal, o filme toca os nossos corações?

Não é novidade para ninguém que a franquia Harry Potter foi, é e sempre será considerada um dos maiores fenômenos de todo o mundo, conquistando desde crianças pequenas até adultos. Foi um marco na história da cultura pop nerd, rendendo até hoje conversas, notícias e encontros de fãs. Estou dizendo tudo isso, pois a roteirista e o diretor sabiam do grande desafio que tinham nas mãos querendo expandir esse universo sem decepcionar os fãs.

Depois de duas horas de cinema, posso dizer a vocês que a dupla David Yates e J. K. Rowling não deixou a gente na mão! Animais Fantásticos e Onde Habitam aproveitou da melhor forma as possibilidades infinitas de expansão do mundo bruxo, conseguindo criar o seu próprio universo. A fórmula não foi repetida, não houve dependência das grandes referências e os personagens conseguiram ganhar nossos corações.

Confesso que a saga original não faz falta alguma, pelo contrário! É possível enxergarmos como esse universo é grande e pode ser explorado. O sentimento foi similar ao de quando assisti o episódio VII de Star Wars, algo do tipo “caramba mal posso esperar para conhecer mais ainda desse mundo!”

Bom, mas e o elenco?

O personagem principal Newt (Eddie Redmayane), e seus 3 amigos Tina (KatherineWaterston), Jacob (Dan Floger) e Quennie (Alison Sudol) desempenharam um brilhante papel como time, cada um com sua personalidade, carisma e papel dentro dessa aventura. O único ponto que tenho a comentar é que o possível casal Newt e Tina não apresentam muita química,   não rolou um sentimento de torcer para que eles fiquem juntos ou de esperar pelo primeiro beijo. Foi bem morno na verdade. Já Jacob e Quennie surpreenderam positivamente: dois personagens tão diferentes, mas que se entenderam de uma forma inocente e engraçada, causando envolvimento e vibração pelo casal.

Collin Farrell também está brilhante como Percival, o auror que quer por as mãos no quarteto a qualquer custo. Com toda sua seriedade e ambição, ele promete não sossegar até conseguir o que quer.

Mas e a produção do filme? Tem um bom jogo de cenas, trilha sonora e núcleos?

Acho que a palavra que resume é harmonização. A produção consegue equilibrar perfeitamente cenas de comédia, romance, aventura e drama. A gente ri, chora e fica tenso o tempo todo, é um mix de emoções. Animais Fantásticos e Onde Habitam tem todos os ingredientes que um blockbuster familiar como esse exige.

Além disso, a qualidade tecnológica das criaturas mágicas e a interação que Newt tem com elas é muito real, assim como nos outro filmes da saga Harry Potter. A equipe de produção teve bastante cuidado para que a gente conseguisse perceber as expressões tanto dos animais como do bruxo, mostrando que eles de fato tem uma relação sincera de amizade e carinho.

E ah! Para finalizar, é claro que as trilhas sonoras são impecáveis e cabem perfeitamente em cada uma das cenas. Sem isso, o sentimento de harmonização e equilíbrio que comentei acima não existiram. As músicas são sempre fundamentais em qualquer filme, e mais uma vez acertaram em cheio!

Bom amigos, acho que ficou mais do que claro que recomendo vocês irem ao cinema assistir. Animais Fantásticos e Onde Habitam começou uma nova história com o pé direito.