1ª temporada de Luke Cage

Na última sexa-feira (30) a 1ª temporada de Luke Cage chegou a Netflix. Particularmente, não achava necessário colocar um herói desconhecido do grande público e sem grandes arcos nos quadrinhos, numa aventura solo. Fiquem tranquilos, essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

E ai, como foi a 1ª temporada de Luke Cage?

Luke faz mais sentido ao lado de Jessica ou de seu futuro melhor amigo Daniel Rand, o Punho de Ferro. Mas, já que optaram por aproveitar a onda de sucessos que vem sendo lançados, nosso papel era conferir a história do herói do Harlem.

Depois de Demolidor e Jessica Jones, a expectativa é de que tudo o que vem com o selo Marvel + Netflix é sinônimo de qualidade e sucesso absoluto. Luke Cage tem qualidade e eu diria que também será um sucesso, por conta da credibilidade da parceria entre as empresas, porém, sua trama não passa nem perto de seus antecessores.

O ator Mike Colter novamente deu vida ao protagonista sem grande destaque ou carisma, o que o torna perfeito para o papel, pois, o personagem compartilha dessas mesmas características. Rosário Dawson volta como Claire Template, a enfermeira dos heróis urbanos e que coincidentemente, sempre acaba se apaixonando ou tendo um caso com algum deles. A dinâmica entre os dois é boa, mas não passa disso.

Luke Cage é um excelente retrato do negro americano que sente orgulho de suas origens, se vangloria de seus heróis e tem o soul e o jazz correndo em suas veias. A musicalidade da série é de extrema qualidade e casa muito bem com o enrendo, contexto e momentos em que é empregada. Ponto positivo!

O que deixa a desejar na produção, são os vilões. A máfia já foi muito bem explorada nas duas temporadas do Demolidor. Temos um Rei do Crime vivido com perfeição por Vincent D’Onofrio, o que faz o Boca de Algodão, a Senadora Mariah e os demais antagonistas, parecerem meros traficantezinhos de quinta categoria. É inevitável a comparação, ainda mais por conta da premissa ser bem similar. Ponto negativo!

O curioso é que essa é a primeira vez que a Marvel deixa sua marca numa produção da Netflix. É inegável que o estúdio sabe ganhar dinheiro e também é um sucesso absoluto em tudo o que se propõe a fazer, mas, em contrapartida, também é inegável o fato de a todos os vilões apresentados até agora no cinema, serem extremamente fracos e deixarem a desejar. Atenção Netflix, não deixem isso acontecer nas séries!

Resumindo, a 1ª temporada de Luke Cage é boa, mas não passa disso. Talvez devem somente ter lançado um CD com a trilha sonora do Harlem, e usado esse enredo com vilões fracos como uma primeira ameaça aos Defensores. Quem sabe não melhore no próximo ano.