Sete Homens e Um Destino, grande produção com falta de emoção! 

Fala galerinha nerd, prontos para mais uma estreia da semana? Então vamos lá! Sete Homens e Um Destino chegou ontem aos cinemas com a grande missão de agradar ao público que vem se decepcionando com remakes bem meia boca como Ben Hur, As Caça Fantasmas e A Lenda de Tarzan. Filmes que não foram bem aceitos pela crítica.

O que podemos esperar de um filme com tantos atores de peso como Denzel e Ethan Hawke? Senta aqui pra a gente conversar!

O longa é um remake do filme “Sete Homens e Um Destino” de 1960, que por sua vez é uma refilmagem do ocidental “Os Sete Samurais” de 1954, trazendo as telonas um clássico do velho oeste. A trama se passa em um pequeno vilarejo, onde o vilão ganancioso se apodera das terras de forma violenta ameaçando os moradores

A equipe liderada por Denzel Washington, é bem diversificada, indo de um índio a um latino, papel esse que era pra ser de Wagner Moura, mas não acabou rolando, pois o ator ganhou muito peso para viver Pablo Escobar em Narcos.

O filme é previsível e cansativo. Não consegue prender a atenção do telespectador. As cenas são longas com diálogos intermináveis. A grande maiorias dos takes são dispensáveis para o desenrolar da trama e sempre são acompanhados de uma piadinha que não encaixa. O vilão não tem uma característica marcante e aparece três vezes durante toda a história, no começo é imponente, mas acaba fragilizado. O longa é diferente do trailer que é empolgante com uma música de arrepiar.

Dos sete, cada um com uma habilidade, nenhuma surpreendente por sinal, falta espaço para o desenvolvimento de cada personagem, eles são ok, e só. Sem um propósito ou uma motivação o grupo segue Denzel, que se sobressai a frente dos outros com uma atuação marrenta. O filme é morno do começo ao fim.

Ficou curioso? Não fique! O filme não vale a pipoca. Espere para assistir em casa.