Esquadrão

Um dos filmes mais aguardados de 2016 e que prometia inovar pela ousadia de sua premissa, chegou ontem aos cinemas.Fique tranquilo, essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS.

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

Amanda Waller comanda o Esquadrão Suicida que é composto por Rick Flag, Pistoleiro, Arlequina, Magia, Crocodilo, Capitão Bumerangue, Katana, Amarra e El Diablo.

Depois de Batman vs Superman: A Origem da Justiça, passamos a enxergar com olhares duvidosos as produções da Warner/DC Comics. Já foi mais do que debatido a questão que gira em torno dessa problemática. É nítida a pressa do estúdio em querer ganhar espaço no universo cinematográfico que hoje é dominado pela Marvel, e é ai que os problemas começam e continuam.

Quem de vocês conhecia o Esquadrão Suicida antes dos trailers? Quase ninguém, não é mesmo? Pois é, se a maioria do público não faz ideia de quem são os membros dessa equipe, como é possível desenvolver, gerar empatia e criar laços entre espectador e personagem em apenas duas horas? É praticamente impossível.

A premissa do filme é muito simples: vamos montar um grupo com pessoas excepcionais que farão as missões que os heróis não são obrigados a fazer por conta de sua autonomia. O fato desse grupo ser composto só por vilões enriquecia e tornava atrativo o filme. O primeiro problema começa com a tentativa de humanizar personagens de origem sádica, lunática, egoísta e gananciosa.

Estúdio e roteiristas, sentem aqui, vamos conversar! Vilões são vilões meus queridos, não mudem a essência dos personagens por conta de atos heroicos que foram feitos a força e não de bom grado. Esse foi um ponto que incomodou e muito. A ousadia de trazer aos cinemas um grupo de vilões caiu por terra com a tentativa de dramatizar a origem dessas pessoas que se tornaram vítimas incompreendidas de um mundo tão louco quanto elas.

Margot Robbie tem tanto talento quanto beleza e de fato rouba a cena com a Arlequina. O que não convence e ainda prejudica a motivação dela em tela, é a relação com o Coringa de Jared Leto. Os fãs que me perdoem, mas Leto é um excelente ator e até reconheço seu esforço em tentar honrar o legado de Heath Ledger, mas, seu Palhaço do Crime mafioso, empresário e gangster tatuado não me convenceu. A começar pelo visual que choca e não me desce, seguido pela boca clássica que fora representada numa tatuagem na mão e finalizando com uma risada sem graça que nem sequer dá medo. Atribuo todos esses pontos negativos à direção e roteiristas. Ousadia também tem limites, fica a dica!

Will Smith, o ator que sempre faz o bom moço, o corajoso, o altruísta, enfim, praticamente o herói negro americano. Precisava disso? Não né? O Pistoleiro é um assassino de aluguel, um atirador de elite que mata a sangue frio e encara essa situação apenas como trabalho. Acho que não preciso nem dizer mais nada, certo?

E a ameça do filme?

Depois do tom sério, sombrio e até excessivamente violento de Batman vs Superman, a Warner tirou o pé e se rendeu ao jeito Marvel de ser, que erro. Justo no filme dos vilões o roteiro suaviza as falas e a trama com piadas sem graça e se torna um filme divertido, mas não cativante. Precisava disso? A sensação é de indefinição e medo de assumir a essência do que foi proposto. Por conta disso, os vilões do filme (e quando digo isso, me refiro à problemática/ameaça que o Esquadrão enfrenta) que tinham tanto potencial por conta de sua grandeza e poder, acabam não convencendo e tampouco sendo uma ameaça de verdade. Que pena!

Reconheço o esforço e a tentativa de querer mudar e acertar. Ainda não foi dessa vez, mas não desista Warner. Peça uma consultoria para a Marvel, faça um benchmarking (avaliação da concorrência) e tente outra vez. Se o filme da Liga da Justiça persistir nos mesmos erros, venda os direitos e pare de perder dinheiro.

Você que não é fã dos quadrinhos, dos desenhos clássicos e só tem pequenas noções desse universo, vá assistir o filme. Vão ser mais de duas horas de ação, efeitos especiais e muita gente louca na tela. Fãs de super-heróis e quadrinhos, independentemente da minha ou de qualquer outra crítica, vá ao cinema, assista e crie a sua própria opinião sobre o filme.

Nossa intenção é a troca e a proximidade com vocês. Nós buscamos debater as coisas boas e ruins que acontecem dentro desse universo que nós amamos. Portanto, assista Esquadrão Suicida e volte aqui para nos contar o que você achou, ok?