Nessa quinta-feira tivemos grandes estreias. Hoje trago a vocês a crítica de Dois Caras Legais. Fique tranquilo, essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Mas afinal, o filme é bom?

Dirigido pro Shane Black e estrelado por Ryan Gosling e Russell Crowe, o longa resgata uma premissa que foi caindo em desuso com o passar dos anos. Dois Caras Legais é um filme ambientado na Los Angeles de 1970 e conta a história de uma mãe que contrata um brutamontes violento (Russell Crowe) para investigar o sequestro de sua filha. No meio do caminho ele cruza com o detetive medroso vivido por Ryan Gosling e a trama começa a desenrolar.

Premissa simples, não é mesmo? Dois Caras Legais traz de volta o gênero policial misturado com comédia, aquele famoso modelo em que um é o bonzinho e o outro o durão e “mau”. É muito bacana esse resgate, pois no passado tivemos grandes duplas que deixaram sua marca no cinema. A química entre Crowe e Goslin fluiu muito bem e convenceu, gerando bons momentos e risadas.

Além dos atores já veteranos, quero destacar a jovem Angourie Rice que vive a filha do detetive Holland March (Ryan Gosling) e rouba a cena em alguns momentos. Essa menina tem um futuro promissor no cinema, inclusive ela entrou para o elenco de Homem Aranha: De Volta ao Lar e especula-se que ela pode viver a nova Gwen Stacy. Vamos prestar atenção nela!

Sabe quando você não espera nada do filme e ele te surpreende positivamente? É essa a sensação ao final da sessão de Dois Caras Legais. Enquanto temos badalados blockbusters em cartaz e cheios de publicidade, o longa de Shane Black te faz rir, entrega cenas de ação, te prende com a trama policial e acaba te conquistando.

Pontos positivos: o tom da história, a dupla de protagonistas e Angourie Rice.

Depois volte aqui para nos contar o que você achou, ok?