Ontem chegou aos cinemas o filme que adapta o clássico game World of Warcraft. O longa é dirigido por Duncan Jones, filho de David Bowie, e conta com um elenco recheado de estrelas. Fiquem tranquilos, esse texto NÃO CONTÉM SPOILERS.

Mas e afinal, o filme é bom?

O Primeiro Encontre de Dois Mundos dá o pontapé inicial da franquia nos cinemas e introduz a coexistência entre homens e orcs e a sua rivalidade e luta pela terra e sobrevivência. Por se tratar de uma história introdutória, o longa se inicia falhando na proposta e começa confuso, corrido e com um roteiro raso que aposta no visual, nas cores e nas caras conhecidas em tela.

No início a sensação é que de fato entramos na tela e estamos dentro do game, o que é super positivo e vai de encontro com a expectativa dos fãs. As cores, cenários, os figurinos exagerados, tudo lembra um jogo de vídeo game. Warcraft é um filme bonito, diria até que ele é primo do Avatar de James Cameron, mas só isso não basta, não é mesmo?

Os diversos personagens do longa são apresentados rapidamente e fazem o espectador que está tendo um primeiro contato com a franquia se sentir perdido em meio a tantos nomes enrolados e que em alguns casos soam como cópias baratas de outras franquias consagradas, como é o caso da personagem de Paula Patton, Garona, que se assemelha muito a Gamora vivida por Zoë Saldaña em Guardiões da Galáxia. Engraçado é que até fisicamente as atrizes são parecidas.

Depois de uma hora para estabelecer rapidamente as intenções, os dois lados, as alianças e as traições, o longa deixa a monotonia de lado e desenrola sua história com o início da ação em tela, o que nos empolga e prende até o final do filme.

O Primeiro Encontro de Dois Mundo faz jus a seu título dando a nós uma pequena amostra dentro da grandeza do mundo de Warcraft. Com o desenvolvimento de um roteiro mais conciso e uma melhor direção de personagens em tela, o longa se tornará promissor e cativante. Por enquanto, ele não passa de um filme bonito e canastrão de um consagrado game, que deixará os fãs fervorosos decepcionados e o novos telespectadores confusos e perdidos em alguns momentos.

Pontos positivos: A sensação de estar num jogo, o cenário, a beleza do longa.

Você gostou do filme? Quais as suas expectativas para a sequência do longa? Deixe a sua opinião nos comentários!