Hoje chega aos cinemas um dos filmes mais aguardados desse ano, Capitão América: Guerra Civil.

Mas e ai, o filme é bom?

Com um elenco recheado de estrelas, o longa que mais parece uma continuação de Os Vingadores, coloca os heróis mais poderosos do universo lutando entre si, por ideologias, questões pessoais e divergências de ponto de vista. Essa semana fizemos um especial desse filme, leia os posts anteriores para saber mais.

Adaptando um famoso arco dos quadrinhos, a Guerra Civil chega para desconstruir tudo o que foi estabelecido até agora. A nova fase da Marvel nos cinemas faz uma cisão entre seus heróis, para depois uni-los novamente contra uma ameaça maior, o tão aguardado Thanos. Com times bem divididos, a missão os irmãos Russo foi contar dentro de duas horas e quarenta minutos o conflito, introduzir o Pantera Negra, apresentar o novo Homem Aranha e ainda dar espaço e desenvolvimento para os demais personagens.

Sem medo de parecer exagerado, o filme é incrível. Começo dando destaque para a direção que soube trabalhar todos os heróis em tela, dando o devido espaço para cada um e sem perder o protagonismo do Capitão América e o antagonismo do Homem de Ferro. Com um roteiro bem amarrado e trazendo o resultado de uma construção que dura há quase dez anos, o longa adapta com maestria o consagrado quadrinho escrito por Mark Millar.

O que eu posso esperar da Guerra Civil? Tudo! Não tendo a mesma quantidade de heróis no cinema que nos quadrinhos, o longa adapta de forma concisa a história sem perder a sua essência. Segundo o próprio diretor Joe Russo, “o filme é uma história de amor entre o Soldado Invernal e o Capitão América”. Uma história de amor? Sim. Capitão América: Guerra Civil é um filme sobre amizade e família, e nos mostra o resultado que um abalo em um desses pilares pode causar.

Destaco as cenas de ação bem coreografadas e filmadas, em especial a do Capitão segurando um helicóptero com a mão. Sério, é de arrepiar e certamente você vai começar a gritar em frente a tela. Outro ponto super positivo e que me empolga demais é o Pantera Negra que rouba a cena no filme. Que bela introdução, participação e demonstração de suas habilidades e sabedoria. Cito também o meu xodózinho a Feiticeira Escarlate que só cresce e desenvolve um filme após o outro. Bem que ela poderia ganhar um longa solo não é mesmo? Confesso a vocês que sonho com o acordo entre a Fox e a Marvel, vamos torcer.

Todos devem estar se perguntando, mas e o Homem Aranha? O que posso dizer a vocês é, assistam. Com seus trinta minutos de tela, Tom Holland honra o legado de Tobey Maguire e Andrew Garfield e mostra que veio para ficar e ser O amigão da vizinha que os fãs tanto esperavam. Divertido, engraçado, poderoso e simplesmente o Pirralho. Esse é o adjetivo que melhor descreve o personagem no filme. A sua primeira cena é de arrancar lágrimas de muito marmanjão barbado por ai.

Depois de tudo isso, eu não poderia dar outra nota ao filme que nos prende o tempo todo na cadeira e ainda deixa um gostinho de quero mais quando termina. Uma dica, FIQUE ATÉ O FINAL, o longa tem DUAS cenas pós-créditos. Vale o 3D? Só para quem é fã, caso contrário é totalmente dispensável.

Pontos positivos: o Pantera Negra, o trio Soldado Invernal/Capitão/Homem de Ferro, Feiticeira Escarlate, o Homem Aranha, a direção.

Você está empolgado para assistir Capitão América: Guerra Civil? Quais as suas expectativas? Você já assistiu? O que você achou? Conte pra gente nos comentários.