A Bruxa

Fala galera! Na semana passada estreou um filme de terror premiado no festival de Sundance e que promete ter deixar arrepiado da espinha até os cabelos, estou falando de A Bruxa. Situado na Inglaterra no ano de 1630, o filme conta a história de uma família que é expulsa da vila onde vivem e acabam indo morar aos pés de uma floresta macabra, típico cenário para dar tudo errado e que as pessoas não deveriam estar ali.

A BruxaMas afinal, o filme é bom?

Partindo da premissa de que o gênero de terror existe para explorar o medo das pessoas e causar sustos, espantos e até desconfortos, sim, o filme é bom. Como já lhes disse na crítica de O Boneco do Mal, não sou dos mais corajosos e confesso sentir medo de longas do gênero.

A Bruxa é bom, pois foge do clichê. A forma como a história é contada utilizando cortes de tela preta entre cenas, e a ausência de sustos faz o filme se diferenciar dos outros que estamos acostumados. A trilha sonora é muito bem trabalhada e tem participação direta no incômodo que a história causa, sem contar o texto e entonações em que as falas são pronunciadas, fazendo o calafrio subir pelas costas te deixando todo arrepiado.

O filme é mistura de misticismo com religião, colocando a bruxa e o demônio lado a lado. Conforme o longa vai se desenvolvendo, você vai se encolhendo na cadeira e seu estômago vai se embrulhando. A sequência de acontecimentos te chocam e deixam impressionados a medida que os elementos citados a cima vão sendo trabalhados. Se você tem medo não vá assistir esse filme, pois com certeza sairá da sessão pensando e não conseguirá dormir a noite. Já você que gosta do gênero, divirta-se. Esse não é mais um filme qualquer de demônios e espíritos, estamos falando da Bruxa.

Pontos positivos: foge do clichê, trilha sonora, diálogos e final.

E você, o que achou do filme? Conte pra gente nos comentários!