O Quarto de Jack

Ontem (19) chegou aos cinemas O Quarto de Jack, um drama que está presente na lista do Oscar. Essa crítica NÃO CONTÉM SPOILERS!

Siga nossas redes sociais:

Mas afinal, o filme é bom?

O longa é dirigido pelo irlandês Lenny Abrahamson, tem roteiro assinado pela autora do livro homônimo Emma Donoghue e ainda conta com a presença de Brie Larson (O Castelo de Vidro) e Jacob Tremblay (Extraordinário) no elenco.

O Quarto de Jack conta a história de Ma, uma mulher que foi sequestrada e mantida em cativeiro por 7 anos, sendo estuprada diariamente. Desse cenário apavorante nasceu Jack, a luz da vida da jovem. Protegendo-o da dura realidade, a mãe diz para o menino que o mundo se resume ao pequeno quarto em que eles vivem.

Sim, vale muito a pena assistir. Com quase duas horas de duração, o filme narra de forma cativante e extremamente emocionante a jornada da mãe e filho durante e pós cativeiro. O pequeno Jacob Tremblay justifica os prêmios e indicações que ganhou com uma atuação impecável, levando o público as lágrimas e roubando a cena.

Humano, atual e infelizmente o retrato de uma triste realidade vivida nos dias de hoje. O Quarto de Jack não é só mais um drama, ele nos faz repensar a vida e nos convida a uma reflexão de como podemos ser felizes com pequenas coisas, como ver uma folha seca cair de uma árvore ou sentir a brisa do vento no rosto ao andar carro e termos a certeza e gratidão por sermos livres.

Um show de sensibilidade, amor, luta pela vida e liberdade, fazem o filme vai te tocar, emocionar e fazer chorar. Não vou me estender muito na história para você curtir cada momento dessa experiência que mudará a sua vida.